Principal Notícias Governadoria Secretarias Indiretas Poderes Especiais Serviços Turismo Contato « Voltar para página principal Governo e Banco Mundial avaliam projetos de gestão hídrica a serem executados no Estado

Dirigentes da Secretaria de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente (Seirhma) se reúnem com representantes do Banco Mundial, nesta terça-feira (15), visando análise dos projetos de melhoria da gestão hídrica no Estado da Paraíba. A reunião, que teve início na segunda-feira (14), conta também com a presença de representantes da Companhia de Abastecimento de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa) e da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa).

O secretário Deusdete Queiroga informou que esta é uma reunião que ocorre a cada dois meses para avaliar o andamento dos projetos. “A previsão é que o projeto de resolução seja encaminhado pela Casa Civil da Presidência da República ao Senado Federal em fevereiro, para aprovação, e em seguida por parte da diretoria do Banco Mundial, em Washington. E a expectativa é que o Governo do Estado possa assinar o contrato em junho de 2019. Portanto, essa reunião tem como objetivo o avanço nos projetos para que logo que sejam aprovados já possam ser iniciadas as ações que estão previstas no financiamento e algumas obras possam ser licitadas e iniciadas em 2019”, adiantou.

Para o representante do Banco Mundial, Marcos Thadeu Abicalil, “a Paraíba avançou rápido do ponto de vista técnico na elaboração dos projetos. O processo de preparação teve início em março e em dezembro já foi concluída a primeira fase, considerada rápida para os padrões do Brasil e do Banco Mundial. O Estado da Paraíba tem sido bastante proativo e estou bastante otimista com relação à previsão de início das obras no segundo semestre de 2019”, avaliou Thadeu.

O projeto tem como objetivo melhorar a gestão hídrica no Estado da Paraíba, aumentando a disponibilidade hídrica na região do semiárido e melhorando a qualidade dos serviços de gestão dos recursos hídricos e saneamento na região metropolitana de João Pessoa. O projeto tem um custo total estimado de US$ 218,3 milhões, sendo US$ 138,1 milhões de empréstimo do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Banco Mundial) e US$ 80,2 milhões de dólares de contrapartida estadual.

O PSH contemplará ainda a reestruturação institucional da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) e da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), bem como permitirá o reordenamento do esgoto de João Pessoa, ampliando a capacidade de tratamento da Cagepa na Capital.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *