“Eu não quero morrer”: o apelo emocionado de Sinead O’Connor no Facebook

“Eu não quero morrer”: esta é apenas uma das muitas delcarações que Sinead O’Connor gravou num vídeo, publicado no Facebook. Em lágrimas, a cantora irlandesa fez desta forma um apelo desesperado que preocupou muitos fãs nas redes sociais.

Sinead O’Connor relata como está sozinha e a “lutar” todos os dias para conseguir sobreviver. “Estou completamente sozinha, não há absolutamente ninguém na minha vida”, disse a cantora no vídeo com 12 minutos.

Sinead O’Connor explica ainda que tem três doenças mentais e que estas são “como uma droga”. “Espero que este vídeo consiga de alguma maneira ajudar”, admite a artista, dedicando o vídeo aos “milhões de pessoas” que sofrem como ela está a sofrer.

“(Ninguém) a não ser o meu psiquiatra – que é o homem mais querido do mundo e que diz que sou a sua heroína -, e esta é a única coisa que me mantém viva de momento. O facto de ser a sua heroína… E isso é ridículo.”

A partir de um hotel, em Nova Jersey, nos Estados Unidos da América, Sinear O’Connor conta que não vai a casa há dois anos, dizendo que foi “tratada como m****” pelos membros da família e que nenhum deles que saber dela.

“Estou sozinha há dois anos como castigo por ser doente mental e sinto-me furiosa por ninguém tomar conta de mim.”

As declarações desesperadas da cantora não agradaram a muitos internautas, que culparam a família pelo estado em que Sinead O’Connor estava. Através de comentários na publicação, alguns fãs exigiram que a família ajudasse a cantora.

“Os estranhos no Facebook são mais carinhosos comigo do que a minha própria família.”

O relato emocionado da artista obteve mais de 900 mil visualizações no Facebook e cerca de dois milhões de comentários, que mostram palavras de confronto e força, críticas à família e até ao seu país natal, a Irlanda, onde dizem que a atitude perante as doenças mentais é “atroz”.

Em 2015, a cantora esteve internada num hospital, em Dublin, para onde foi levada após sofrer uma overdose e ter publicado, no Facebook, uma alegada carta de suicídio. Sinead O’Connor, que sofre de transtorno bipolar, tem quatro filhos – de pais diferentes -, e em 2013, perdeu a custódia do mais novo, com 13 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *