Procurador regional convoca quem não consegue mamografia na capital

“Eu tive câncer e perdi uma mama. Quando minha filha, de 24 anos, notou um nódulo, procurou logo o posto de saúde do Valentina Figueiredo e tentou uma mamografia. Ela esperou mais de um ano, não conseguiu e teve que pagar pelo exame numa clínica particular ano passado”. O depoimento é da comerciária Maria José Lourenço, 47, mas poderia ser de várias outras mulheres que não conseguem a mamografia em João Pessoa. O problema é antigo e, por isso, o Ministério Público Federal (MPF) está convocando, através da mídia, as que estão nessa situação para averiguar onde está a falha e cobrar da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

O procurador regional substituto dos Direitos do Cidadão, Guilherme Ferraz, afirmou que o chamamento teve como ponto de partida denúncia de profissionais de saúde e a imprensa. “Os pacientes, normalmente, não se mobilizam a vir ao MPF. Por esse motivo, talvez a ideia de que tudo demora no SUS esteja arraigada. Outrossim, não querem se expor ou nem sabem dos direitos que têm”, destacou.

 

Devem procurar o MPF as mulheres que estão há mais de 15 dias com a requisição da mamografia e não tenham conseguido realizá-la. Ele lembrou que, em 30 de agosto de 2017, houve uma reunião com a SMS, quando a PMJP firmou alguns compromissos com o MPF, como a implementação de um registro de protocolo para todos os pedidos de exames e consultas no setor de regulação, para averiguar a demora nas marcações. “A ideia é conferir agora o que funcionou ou ainda precisa ser melhorado”, observou.

PB Agora 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *